quinta-feira, 12 de março de 2009

ORGANIZAÇÃO E ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA CRIANÇA

O movimento tem um papel fundamental no desenvolvimento do ser humano, especialmente no da criança, tanto nos aspectos cognitivo e psicomotor quanto no afetivo-social, pois podemos entendê-lo como a primeira forma de comunicação, expressão, organização, descoberta e manifestação que a criança encontra e apresenta no seu processo de interação e aproximação com o mundo dos objetos e pessoas (CARULLI E ROCHA). As diferentes competências com as quais as crianças chegam à escola são determinadas pelas experiências corporais que tiveram oportunidade de vivenciar. Ou seja, se não puderam brincar, conviver com outras crianças, explorar diversos espaços, provavelmente suas competências serão restritas. Por outro lado, se as experiências anteriores foram variadas e freqüentes, a gama de movimentos e os conhecimentos sobre jogos e brincadeiras serão mais amplos. Estudos mostram que as atividades psicomotoras ajudam as crianças em fase escolar em vários aspectos, como a prontidão para a aprendizagem da leitura e escrita. A psicomotricidade procura proporcionar a criança algumas condições mínimas necessárias a um bom desempenho escolar. Ela utiliza-se do movimento, através de jogos e brincadeiras, para atingir outras aquisições mais elaboradas como as intelectuais. A educação psicomotora procura as técnicas mais eficazes a fim de obter uma melhora progressiva do comportamento geral da criança, sendo trabalhadas as seguintes funções: a consciência do próprio corpo; domínio do equilíbrio, o controle e a eficácia das diversas coordenações globais e parciais; o controle da inibição voluntária e da respiração; a organização do esquema corporal e a orientação no espaço; estruturação espaço-temporal correta e maiores possibilidades de adaptação ao mundo exterior (MASTROIANNI).
A orientação espacial é a capacidade que tem o indivíduo de situar-se e orientar-se, localizar outra pessoa ou objeto dentro de um determinado espaço. Quando a criança aprender noções de situação, tamanho, movimentos, formas, volume etc... , ela atingirá a etapa de orientação espacial, ou seja, ela passa a ter acesso a um espaço orientado a partir de seu próprio corpo, multiplicando suas possibilidades de ações eficazes. (FERNANDES).
Estruturação temporal: não se pode conceber a idéia de espaço sem abordarmos a noção de tempo, já que são indissociáveis. As noções de corpo, espaço e tempo, têm que estar intimamente ligadas para que possamos entender o movimento. O corpo se coordena e movimenta dentro de um espaço determinado, em função do tempo, e em relação a um sistema de referências. No que diz respeito à estruturação espaço temporal, a criança pode apresentar diversos tipos de dificuldades na escrita, como aglutinações, separações indevidas, omissão ou adição de letras, sílabas ou palavras... A estruturação temporal proporciona à criança, a consciência do desenvolvimento das ações no tempo, solicitando mais a percepção auditiva da criança, em contraposição à estrutura espacial, que exige basicamente a percepção visual. A estruturação espaço-temporal é um dado importante para uma adaptação favorável do individuo, pois ela permitirá não só movimentar-se e reconhecer-se no espaço, mas também concatenar e dar seqüências aos seus gestos, localizar as partes do seu corpo e situá-las no espaço, associar sua atividade e organizar sua vida cotidiana. (PROENÇA).
Portanto, tendo mais ou menos conhecimentos, vivido muitas ou poucas situações de desafios corporais, para os alunos a escola configura-se como um espaço diferenciado, onde terão que ressignificar seus movimentos e atribuir-lhes novos sentidos, além de realizar novas aprendizagens. (BRASIL, l997).

REFERÊNCIAS

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Educação Física. Volume 07. Brasília: MEC/SEF, 1997. www.mec.gov.br. Acesso em 21 agosto 2008.

CARULLI, Por Sandra Regina. ROCHA, Genivaldo Severiano da Compreendendo a relação da educação física com a alfabetização. Disponível em:
http://www.portalobjetivo.com.br/colegio/artigos/artigo04.asp. Acesso em: 20 ago.2008

FERNANDES R.A, Renata. PSICOMOTRICIDADE E ALFABETIZAÇÃO. Disponível em:
http://www.lite.fae.unicamp.br/grupos/F.htm. . Acesso em: 20 ago.2008

MASTROIANN, Edelvira de Castro Quintanilha. DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR DE CRIANÇAS MATRICULADAS NO ENSINO FUNDAMENTAL. Disponível em:
http://www.unesp.br/prograd/PDFNE2004/artigos/eixo10/perfilpsicomotor.pdf. Acesso em: 20 ago.2008


PROENÇA, Maristela Garcia B. Psicomotricidade. Disponível em:
http://faculdadesdombosco.edu.br/v2.1/documentos/projeto_psicomotricidade.pdf . Acesso: 21/08/08.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário